Para isto o médico executa não só a inspeção da cavidade oral, mas também a palpação digital da mesma em busca de anomalias. O exame implica ainda a realização de exame indireto da faringe e laringe e ainda a palpação do pescoço para despistar a existência de massas ou nódulos.

Após o exame físico, se forem encontradas quaisquer anomalias suspeitas, o médico pode ainda recomendar a realização de uma biópsia para a qual existem diversas técnicas dependendo da lesão. O material recolhido na biópsia será então analisado por um patologista que determinará se existem células malignas ou não.

Em caso algum deverá um tratamento ser iniciado sem a confirmação diagnóstica e sem o estadiamento da doença. Para o estadiamento são usados exames genéricamente designados como exames de imagem: TAC, RMN e PET.

Quer a TAC quer a RMN são exames que permitem detalhar com grande precisão a morfologia das estruturas anatómicas e das estruturas doentes revestindo-se de grande importância para o cirurgião. A PETfunciona de forma ligeiramente diferente já que avalia a taxa de metabolismo das diferentes estruturas - partindo do princípio que as células tumorais se dividem ativamente e que portanto possuem um metabolismo bastante acelerado, elas sobressaem em relação às estruturas normais tornando-se evidentes no exame.

Se o patologista que examina as células detetar uma lesão maligna, o médico que trata o doente vai precisar de saber deste modo a extensão da doença, ou seja, determinar até que ponto a doença se disseminou e se envolve ou não outras áreas da cabeça e pescoço ou mesmo outros locais do corpo mais distantes. Nesta altura dos acontecimentos, o médico também já saberá algumas características do tumor de modo a ter uma ideia da sua agressividade e assim corretamente delinear o tratamento. A agressividade depende em larga medida do grau de diferenciação tumoral: um tumor bem diferenciado terá à partida um comportamento melhor que um tumor mal diferenciado.

Tratamento

O tratamento do cancro oral constitui habitualmente uma abordagem multidisciplinar envolvendo esforços de cirurgiões, radioterapeutas, médicos oncologistas, estomatologistas, nutricionistas, terapeutas da fala e outros.

Fatores de Risco

Saiba que comportamentos podem ajudar a que a doença faça parte da sua vida.

Sinais e Sintomas

Esteja atento às manifestações do seu corpo. Saiba aqui que sintomas podem ser manifestados pela doença

Sabia que...